Imagem de destaque para artigo sobre vazio sanitário no Blog AgriQ. (Créditos: Freepik)

Vazio sanitário: tudo o que você precisa saber sobre

Vazio sanitário: tudo o que você precisa saber sobre

Precisa controlar as pragas e doenças da sua lavoura de soja, algodão e feijão? Então você deve seguir o vazio sanitário 

Esta estratégia é adotada em diferentes estados brasileiros e é fundamental para garantir uma safra mais produtiva dessas culturas.  

Para você não ter mais dúvidas sobre o assunto, nós preparamos um guia completo sobre a medida para o Blog AgriQ.  

Vamos lá?  

Continue a leitura para saber mais!  

O que é o vazio sanitário?  

O vazio sanitário é como chamamos o período em que é proibido manter plantas vivas de uma determinada cultura.  

Este período é contínuo e tem uma duração específica, definida de acordo com a cultura pelo órgão de defesa sanitária vegetal.

Para que serve o vazio sanitário?  

O vazio sanitário é uma medida fitossanitária pensada para o controle de pragas e doenças.  

Isto é possível porque a ausência de plantas vivas durante o período interrompe o ciclo de reprodução e desenvolvimento dos patógenos (fungos, bactérias, vírus etc) e insetos que causam doenças nas lavouras.  

Quanto tempo dura o vazio sanitário?  

De forma geral, o vazio sanitário dura de 60 a 90 dias. A data de começo e término não é definitiva e varia de acordo com a safra e a região.   

Por isso, de um ano para outro, pode haver variações nas datas, já que a definição dos períodos considera como foi a incidência da praga ou doença em questão na safra anterior.  

Na prática, isso significa que se a incidência da doença aumentou (como a ferrugem asiática, por exemplo, no caso da soja) em uma região, a duração do período para a próxima safra pode ser maior, de forma a reduzir ainda mais as chances de desenvolvimento do patógeno.  

Quais culturas possuem vazio sanitário?  

No Brasil, três culturas possuem vazio sanitário 

  • Soja;  
  • Feijão;  
  • Algodão.  

Soja  

A folha de soja com ferrugem asiática apresenta pequenos pontos de coloração mais escura (Créditos: Revista Cultivar)
A folha de soja com ferrugem asiática apresenta pequenos pontos de coloração mais escura (Créditos: Revista Cultivar)

O vazio sanitário da soja é o período de ausência da cultura da soja e plantas voluntárias na lavoura. Possui duração mínima de 90 dias e é adotado como medida de combate à ferrugem asiática, doença causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi. 

Atualmente, vinte estados e o Distrito Federal adotam a medida no Brasil. O calendário para 2023 está disponível abaixo:  

Períodos de vazio sanitário da soja (2023) 
Unidade federativa Datas 
Acre 22 de junho a 20 de setembro de 2023 
Alagoas 1 de janeiro a 1 de abril de 2023 
Amapá 1 de dezembro a 28 de fevereiro de 2023 
Amazonas 15 de junho a 15 de setembro de 2023 
Bahia 1 de julho a 30 de setembro de 2023 
Ceará 3 de novembro a 31 de janeiro de 2023 
Distrito Federal 1 de julho a 30 de setembro de 2023 
Goiás 27 de junho a 24 de setembro de 2023 
Maranhão Região I1: 3 de julho a 30 de setembro de 2023
Região II2: 3 de agosto a 31 de outubro de 2023
Região III3: 2 de setembro a 30 de novembro de 2023 
Minas Gerais 1 de julho a 30 de setembro de 2023 
Mato Grosso 15 de junho a 15 de setembro de 2023 
Mato Grosso do Sul 15 de junho a 15 de setembro de 2023 
Pará Região I4: 15 de junho a 15 de setembro de 2023
Região II5: 1 de agosto a 30 de outubro de 2023
Região III6: 15 de agosto a 15 de novembro de 2023 
Paraná 10 de junho a 10 de setembro de 2023 
Piauí Região I7: 1 de setembro a 30 de novembro de 2023
Região II8: 1 de agosto a 30 de outubro de 2023
Região III9: 1 de junho a 29 de setembro de 2023 
Rio Grande do Sul 13 de julho a 10 de outubro de 2023 
Rondônia Região I10: 10 de junho a 10 de setembro de 2023
Região II11: 15 de junho a 15 de setembro de 2023 
Roraima 19 de dezembro a 18 de março de 2023 
Santa Catarina 22 de junho a 20 de setembro de 2023 
São Paulo 15 de junho a 15 de setembro de 2023 
Tocantins 1 de julho a 30 de setembro de 2023 

Feijão  

Ovos e adultos de mosca-branca Bemisia tabaci em folha de feijão (Créditos: Sebastião José de Araújo | Embrapa Arroz & Feijão)
Ovos e insetos adultos de mosca-branca em folha de feijão (Créditos: Sebastião José de Araújo | Embrapa Arroz & Feijão)

O vazio sanitário do feijão é uma medida para o controle da mosca-branca (Bemicia tabaci), inseto que transmite o vírus causador da doença mosaico-dourado ao feijão-comum (Phaseolus vulgaris) 

A duração é de 30 dias, período no qual o produtor está proibido de cultivar ou manter plantas vivas (inclusive as voluntárias) de feijão na área de plantio. Desse modo, a população da mosca branca perde o ambiente favorável para seu desenvolvimento, já que prefere plantas mais jovens.  

No momento, três regiões devem seguir a medida no cultivo do feijão: Goiás, Distrito Federal e Minas Gerais. O período foi estabelecido nesses locais devido às elevadas perdas na produção.  

Confira abaixo as datas de início e término: 

Períodos de vazio sanitário do feijão (2022) 
Unidade federativa Datas 
Distrito Federal 20 de setembro a 20 de outubro de 2022 
Goiás Região I: 5 de setembro a 5 de outubro de 2022
Região II: 20 de setembro a 20 de outubro de 2022 
Minas Gerais 20 de setembro a 20 de outubro de 2022 

Algodão  

O bicudo-do-algodoeiro provoca a queda dos botões florais, o que impede a abertura das maçãs do algodão (Créditos: Sebastião José de Araújo | Embrapa Algodão)
O bicudo-do-algodoeiro é uma das principais pragas do algodão (Créditos: Sebastião José de Araújo | Embrapa Algodão)

O vazio sanitário do algodão é o período em que não se pode cultivar ou manter plantas vivas de algodão. A medida é uma ferramenta para controle do bicudo do algodoeiro, praga que afeta significativamente a produtividade da cultura.  

A duração e as datas de início e término variam de acordo com a região. No entanto, de modo geral, o período costuma durar no mínimo 60 dias.  

Na última safra (2022/2023), a medida foi implementada em dez estados brasileiros: Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bahia, Maranhão, Tocantins, Piauí, São Paulo e Paraná.  

Confira abaixo o calendário de 2022:  

Períodos de vazio sanitário do algodão (2022) 
Unidade federativa Datas 
Bahia Região I: 20 de setembro a 20 de novembro de 2022
Região II: 1 de setembro a 30 de outubro de 2022 
GoiásRegião I: 15 de setembro a 25 de novembro de 2022
Região II: 20 de setembro a 30 de novembro de 2022
Região III: 10 de setembro a 19 de novembro de 2022
Região IV: 10 de novembro a 20 de janeiro de 2022 
Maranhão 1 de outubro a 30 de novembro de 2022 
Mato Grosso 1 de outubro a 30 de novembro de 2022 
Mato Grosso do Sul Região I: 15 de setembro a 30 de novembro de 2022
Região II: 30 de agosto a 30 de outubro de 2022
Região III: 15 de julho a 30 de setembro de 2022 
Minas Gerais Região I: 20 de setembro a 20 de novembro de 2022
Região II: 30 de outubro a 30 de dezembro de 2022 
Paraná 1 de agosto a 30 de setembro de 2022 
Piauí 20 de setembro a 20 de novembro de 2022 
Tocantins 20 de setembro a 20 de novembro de 2022 
São Paulo 10 de julho a 10 de outubro de 2022 

 

Como fazer o vazio sanitário?  

Para realizar o vazio sanitário, independente da cultura, é necessário seguir esses passos:  

  1. Limpar a área de cultivo após a colheita da soja, algodão e feijão;  
  2. Utilizar o controle químico (pulverização agrícola) ou controle mecânico (uso de máquinas para arranquio e corte) para eliminar todas as plantas vivas da cultura no local, sejam elas voluntárias ou não;  
  3. Respeitar o período conforme as recomendações do órgão de defesa sanitária vegetal.  

O que é permitido cultivar durante o período do vazio sanitário?  

Até agora, você aprendeu que o vazio sanitário é o período em que é proibido manter plantas vivas de certas culturas, com o objetivo de controlar pragas e doenças.  

No entanto, ao contrário do que pode parecer em um primeiro momento, não é preciso manter a área de cultivo sem qualquer atividade agrícola.  

Durante o período, o produtor rural pode realizar as seguintes práticas:  

Ambas as práticas são formas efetivas de evitar a erosão ou a compactação do solo, bem como a ocorrência de plantas daninhas.  

Quais os benefícios do vazio sanitário?  

De modo geral, independente da cultura, o vazio sanitário traz diversos benefícios como:  

  • Controle de pragas e doenças;  
  • Redução de gastos com agrotóxicos e custos operacionais relacionados à pulverização agrícola;  
  • Maior produtividade para as lavouras;  
  • Aumento da rentabilidade com a produção.  

Quais são as exceções do vazio sanitário?  

Durante o vazio sanitário, alguns cultivos das culturas em questão (soja, algodão e feijão) poderão ser realizados em caráter excepcional.  

Geralmente, as exceções de cultivos são autorizadas em atividades de pesquisa científica e produção de sementes genéticas.  

Para obter essa autorização, é necessário submeter uma solicitação ao órgão estadual de defesa sanitária vegetal do estado, que é responsável pela fiscalização do cumprimento da medida.   

O que acontece se o período do vazio sanitário não for respeitado?  

O cumprimento do vazio sanitário é de responsabilidade do produtor rural.   

Portanto, caso não respeite a medida, o produtor rural está sujeito às seguintes penalidades:  

  • Multa;  
  • Interdição da propriedade rural;  
  • Destruição do plantio.  

Conclusão  

Neste artigo, vimos o que é o vazio sanitário e por que ele é importante para o controle e redução de doenças nas lavouras de soja, algodão e feijão do Brasil.  

Além disso, também aprendemos como a medida deve ser cumprida e quais são as penalidades cabíveis ao produtor rural que não respeita o período.  

Banner-Blog-AgriQ-Receituario-Agronomico-Teste-Gratis

Gostou desse conteúdo? Aproveite e leia nosso artigo sobre Zoneamento Agrícola de Risco Climático. 

Post Tags :

Julie Tsukada

Jornalista e Analista de Conteúdo no Conexa, hub de inovação da Aliare.

1 Comentário

  • Gelson Espíndola da Silva
    02/05/2023

    Bom dia. Eu dei uma olhada, no Artigo de vces sobre ( Vazio Sanitário). É muito interessante. Eu sou Técnico Agrícola, aposentado, trabalhei com Melhoramento de Plantas ( Amendoim, IAC). De Campinas, e Irrigação ( Universidade Estadual de Campinas). É um trabalho muito bom.

    Reply

Deixe um comentário